Com vocês a vida e obra de Clarice lispector

7 de março de 2021 Off Por Pedro Taunay Graça Couto

larice Lispector
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa
Clarice Lispector

Clarice Lispector por Maureen Bisilliat em agosto de 1969. Acervo IMS
Pseudônimo(s) Helen Palmer, Teresa Quadros
Nascimento 10 de dezembro de 1920
Chechelnyk, Oblast de Vinnitsa
República Popular da Ucrânia
Morte 9 de dezembro de 1977 (56 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Brasil
Nacionalidade ucraniana-brasileira
Progenitores Mãe: Mania “Marieta” Krimgold Lispector
Pai: Pinkhas “Pedro” Lispector
Cônjuge Maury Gurgel Valente (1943-1959)
Filho(s) 2
Ocupação Romancista, escritora, contista, colunista, cronista e jornalista
Prémios
Prêmio Graça Aranha (1943)
Prêmio Carmem Dolores Barbosa (1961)
Prêmio Jabuti (1961, 1978)
Ordem do Mérito Cultural (2011)
Magnum opus
A Hora da Estrela
A Paixão segundo G.H.
Laços de Família
Perto do Coração Selvagem
Escola/tradição Modernismo
Religião Judaísmo
Clarice Lispector, nascida Chaya Pinkhasovna Lispector (em alfabeto cirílico: Хая Пинхасовна Лиспектор; Chechelnyk, 10 de dezembro de 1920 — Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977),[1] foi uma escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia. Autora de romances, contos e ensaios, é considerada uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX e a maior escritora judia desde Franz Kafka. Sua obra está repleta de cenas cotidianas simples e tramas psicológicas, reputando-se como uma de suas principais características a epifania de personagens comuns em momentos do cotidiano. Quanto às suas identidades nacional e regional, declarava-se brasileira e pernambucana.

Nasceu em uma família judaica russa que perdeu suas rendas com a Guerra Civil Russa e se viu obrigada a emigrar em decorrência da perseguição a judeus, à época, a qual resultou em diversos extermínios em massa. Especula-se que a mãe de Clarice teria sido violada por soldados russos durante a Primeira Guerra Mundial.[nota 1] A futura escritora chegou ao Brasil, ainda pequena, em 1922, com seus pais e duas irmãs.[nota 2] Clarice dizia não ter nenhuma ligação com a Ucrânia – “Naquela terra eu literalmente nunca pisei: fui carregada de colo” – e que sua verdadeira pátria era o Brasil. Inicialmente, a família passou um breve período em Maceió, até se mudar para o Recife, onde Clarice cresceu e onde, aos oito anos, perdeu a mãe. Aos quatorze anos de idade transferiu-se com o pai e as irmãs para o Rio de Janeiro, local em que a família se estabilizou e onde o seu pai viria a falecer, em 1940.[2]

Estudou Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, conhecida como Universidade do Brasil, apesar de, na época, ter demonstrado mais interesse pelo meio literário, no qual ingressou precocemente como tradutora, logo se consagrando como escritora, jornalista, contista e ensaísta, tornando-se uma das figuras mais influentes da Literatura brasileira e do Modernismo, sendo considerada uma das principais influências da nova geração de escritores brasileiros. É incluída pela crítica especializada entre os principais autores brasileiros do século XX.

Suas principais obras marcam cada período de sua carreira. Perto do Coração Selvagem foi seu livro de estreia, publicado quando Clarice tinha 24 anos de idade; Laços de Família, A Paixão segundo G.H., A Hora da Estrela e Um Sopro de Vida são seus últimos livros publicados. Faleceu em 1977, um dia antes de completar 57 anos, em decorrência de um câncer de ovário. Deixou dois filhos e uma vasta obra literária composta de romances, novelas, contos, crônicas, literatura infantil e entrevistas.

Índice
1 Biografia
1.1 Nascimento
1.2 Infância
1.3 Adolescência
1.4 Universidade do Brasil
1.4.1 Direito
1.4.2 Jornalismo
1.5 Perto do Coração Selvagem
1.6 Casamento e diplomacia
1.7 O Lustre
1.8 Maturidade e morte
2 Obra
2.1 Como tradutora
2.2 Traduções no exterior
3 Lista de obras
4 Notas
5 Referências
6 Bibliografia
6.1 Da autora
6.2 Traduções da autora
6.3 Sobre a autora
7 Ver também
8 Ligações externas