Para quem não sabe o que é Poesia Concreta Poesia&VIda

8 de outubro de 2019 Off Por Pedro Taunay Graça Couto

Poesia Concreta

A poesia conhecida como poesia concreta é uma poesia de vanguarda que começou com um caráter experimental e que se concentrou mais no visual. Trata-se de uma escola poética que buscou estruturar combinar a estrutura escrita e visual para formar um poema que é muito mais visual do que falado.

Uma possibilidade de superação da forma como era visto verso dando a ele uma unidade de ritmo e forma. A poesia concreta surgiu na década de 1950 no Brasil e também teve representação na Suíça e o seu nome foi dado por Augusto de Campos numa revista chamada Noigandres (número 2), de 1955 que era publicada por um grupo de escritores. É comum que as pessoas confundam a poesia concreta com um tipo de poesia visual, mas é importante destacar que não é a mesma coisa.

Poesia Concreta

Poesia Concreta

O Movimento Internacional da Poesia Concreta

Antes de ser um movimento da poesia na década de 1950, o Concretismo, foi um movimento europeu das artes plásticas que se desenrolou na década de 1930 e também da música na década seguinte. A palavra ‘concreto’ era usada como uma oposição da ideia de ‘abstrato’.

A poesia concreta apareceu de maneira oficial em 1956 por meio da Exposição Nacional de Arte Concreta realizada no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Nessa exposição houve a participação de artistas do Rio de Janeiro e de São Paulo. Porém, a ideia de poesia concreta vinha se afirmando desde o começo da década de 1950.

Corpo da Mulher

Corpo da Mulher

Poesia Para Ver

No ano de 1943, o poeta Carlo Belloli, escreveu algo tido como profético: “ver tornar-se-á mais importante que ouvir”. Nesse mesmo período ele produziu uma poesia que recebeu o nome de “Testi-poemi murali” (Texto-poema mural).

Embora esses textos de Belloli sejam reconhecidos como concretos, academicamente, os primeiros textos que são listados como concretos são os que fazem parte do primeiro manifesto desse tipo de poesia, que é o Plano-piloto para poesia concreta, que teve a sua publicação em São Paulo no ano 1958. O texto tem as assinaturas dos poetas Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari e foi publicado pela primeira vez em 1952.

Em 1953 foi publicado Öyvind Fahlström, poeta brasileiro e sueco, o manifesto Manifest for konkret poesie (Manifesto da poesia concreta). Nesse documento é possível encontrar vários pontos paralelos entre o que se estava fazendo no Brasil e na Suíça.

Brincando

Brincando

A Poesia Concreta Pelo Mundo

A poesia concreta começou a se espalhar por vários países a partir da metade da década de 1950. Dentre os países para os quais a poesia foi estão Alemanha, Japão, Espanha, Áustria, Portugal, Islândia, Bélgica, Dinamarca, Tchecoslováquia, Itália e Finlândia entre outros.

Características

As características da poesia concreta foram bem explicitadas através do manifesto Plano-Piloto e se destacam duas distinções básicas que são a paranomásia e a diferente disposição dos elementos como vocábulos, palavras e caracteres. Como a poesia concreta usa a paranomásia de maneira a não abandonar a palavra não faz desse tipo de poesia uma poesia somente visual.

Outra característica que é apresentada nesse manifesto é o abandono do uso do verso como uma unidade rítmico-formal da poesia. Nesse contexto  o espaço se torna um agente estrutural e assim deixa de se desenvolver de uma forma meramente temporal ou linear.

Poesia Concreta na Publicidade

Poesia Concreta na Publicidade